Blog

CONTAS A PAGAR E RECEBER PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE


por Líder Serviços Contábeis em 01/07/2019

    Saber organizar a vida financeira é essencial para qualquer pessoa, agora, imagine para a sua clínica. Para os profissionais da saúde, é indispensável o conhecimento dos custos e receitas empresariais, para que se possa fazer um planejamento compatível com a realidade da empresa, assim, fazendo com que ela possa seguir em um ritmo próspero e saudável.

    Elaborar uma estruturação das contas a serem pagas e os valores a serem recebidos, irá te ajudar a ter uma visão de curto, médio e longo prazo, auxiliando na projeção do seu negócio, com informações para os próximos, dias, semanas, meses e anos!

    Analisar a liquidez da empresa e a disponibilidade em caixa, contribui para que você possa antecipar decisões importantes, como negociação de prazos com fornecedores, ter uma estimativa de produtos parados em estoque, programar empréstimos ou investimentos, entre outras ações financeiras que podem ser realizadas, evitadas ou reduzidas.

    A definição para esta relação de atividades é chamada de Fluxo de Caixa. É dele que iremos falar a seguir, pois, é através deste mecanismo que as empresas podem controlar, planejar e analisar as operações do dia-dia financeiro da empresa. A finalidade deste instrumento é contabilizar e planejar o saldo disponível em caixa, mantendo sempre um capital de giro acessível para eventuais gastos ou investimentos.

    O objetivo deste artigo é colaborar nesse processo, com algumas informações fundamentais para te apoiar nessa jornada financeira no mundo dos negócios. Então, vamos lá!

Veja agora, o passo a passo da base estrutural simplificada do fluxo de caixa que deverá ser levantada de acordo com a necessidade da empresa e do gestor. 

 

  •  Plataforma de controle:

    Será necessário a o uso de um mecanismo de software como o Excel ou alguma plataforma de controle financeiro que já tenha disponível para te auxiliar no acompanhamento e na organização das despesas e receitas.

 

  •  Valores a receber:

    Organize os prazos de recebimento estabelecido com os clientes e a forma com que cada um deles será feito (a vista, a prazo, cartão, cheque, boleto...). Fique atento ao prazo de liquidação dos valores a receber, pois é nessa data que o dinheiro irá entrar.

 

  •  Valores a pagar:

    Com todos os valores a receber lançados e organizados é o momento de iniciar um cronograma. Isso exige que seja registrado e classificado todas as saídas diárias e a suas respectivas datas de vencimento, para determinar o que deverá ser pago primeiro de acordo com os prazos de pagamento e a disponibilidade em caixa, evitando a incidência de atrasos e juros ou a busca por empréstimos para cumprir com as obrigações, aumentando significativamente os custos. Atente-se em mencionar a forma de pagamento (a vista, a prazo...etc.).

 

  •  Saldo final disponivel:

    A consequência está em apurar o dinheiro disponível em caixa ou depositado na conta corrente da empresa, com a diferença entre o valor total dos recebimentos e pagamentos efetivos feitos em um dado período. O excedente final em caixa deve coincidir com a quantia disponível no caixa ou banco.

    Agora, para que não haja uma alta concentração de saída do dinheiro em um determinado período, analise os prazos de vencimento das suas despesas com os prazos de recebimento da receita. Assim, é possível alterar alguns vencimentos para outro momento que não seja compatível com o volume de despesas fixas que não são possíveis alterar o vencimento, como salários ou impostos. Tudo em conformidade com o que há disponível em caixa.

 

Como projetar o seu  Fluxo de Caixa?

    Com a movimentação diária de capital registrada e organizada, chegou a vez de analisar os resultados financeiros apresentados pela empresa no presente, para criar um panorama futuro. É neste momento que é possível observar se o negócio gasta mais que recebe, divergências entre o prazo de pagamento de fornecedores e o recebimento de clientes ou se há valores parados em estoque. Deste modo, o gestor pode traçar um plano estratégico buscando modificar pontos revelados através do fluxo de caixa. Pode tanto evitar que a empresa apresente sérias dificuldades financeiras futuras, decorrente de uma má administração dos recursos, quanto promover uma expansão por meio de uma gestão eficiente.

 

Saiba o que é o Fluxo de Caixa Livre

    O fluxo de caixa livre é um complemento dos apresentados anteriormente. Enquanto o fluxo de caixa visa o registro das movimentações diárias, a projeção do fluxo de caixa mostra um cenário proveniente dos resultados obtidos. Já o fluxo de caixa livre revela a capacidade da geração de capital da empresa no curto, médio e longo prazo. Ele indica o saldo efetivo, que representa a diferença entre as despesas e receitas. Para orientar nesse diagnóstico é utilizado relatórios de projeções de acompanhamento dos resultados do período de 60 a 90 dias e de 2 a 5 anos. Assim, caso a análise seja positiva é possível considerar investimentos. Caso seja negativo, será necessário avaliar uma estratégia para sair do vermelho.

 

    É com esta ferramenta que você, profissional da saúde, conseguirá ampliar os horizontes do seu negócio ou ter mais cautela com as ações financeiras da empresa, planejando o momento certo de agir.